Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

riscos_e_rabiscos

.

.

Duas em Uma

 

             

 

Chamem-me multifacetada, polivalente, multifunções, pau para toda a obra... Whatever! Mas a verdade é que fui requisitada, recrutada para entrar no  jogo em jeito de substituição de jogador lesionado. Assim... à última da hora!

 

Às vezes o azar de uns é a "sorte" de outros.

Ontem cheguei ao colégio à minha hora normal de iniciar as aulas e o director interpela-me com a pergunta "o que faz durante as manhãs?"

Ocorreu-me tudo menos o motivo real. Pensei que finalmente tivesse mexido nos cordelinhos, pauzinhos e neurónios para erguer as sugestões que eu lhe fiz - e ele aceitou entusiasticamente - para dinamizar o colégio e ganhar uns cobres extra. Mas parece-me que vozes de burros não chegam aos céus...

 

Revelou-me, então, que uma colega minha tinha dado uma queda no WC e que tinha partido três costelas, estando, por isso, incapacitada para dar aulas durante uns tempos.

 

Perguntou se eu "estava habituada a trabalhar com crianças daquela idade". Às vezes o director sai-se com cada uma que até parecem duas! Então esta turma não é minha?!? E já desde o ano passado?!? Ai, ai, ai!!!

 

Ontem foi a "genra" (como carinhosamente chamam à nora do director que anda pra lá a encher chouriços para justificar o ordenado) que substituiu a minha colega, o que não agradou nada à classe dos profes. Receia-se que ela seja uma espécie de espiã ao dispôr de sua majestade, o director. A ela falta-lhe um pouco de simpatia para que conquiste os outros e mesmo que não seja persona non grata, passou a sê-lo!

O consenso geral é que a "genra" não deve fazer estas substituições porque nem se quer é professora.

 

Voltei a levantar-me cedo para poder estar no colégio a horas e começar a aula. Devo dizer-vos que, apesar dos miúdos terem ficado decepcionados porque pensaram que iam ter inglês, as coisas correram muitíssimo bem!

Trabalharam imenso e ainda trabalharam um conto extra, que eles adoraram.

 

A parte hilariante do dia foi a hora do almoço. Já aqui vos disse que a cozinheira é super desagradável e antipática, com aquele ar de quem todos lhe devem e ninguém lhe paga.

Desci com as crianças para o refeitório que aguardaram a sua vez fazendo fila. Após terem entrado todos, eu dirigi-me para a zona da comida e a C. diz-me que tenho de avisar a cozinheira que também ia comer. Perguntei se havia um pratinho de comida, ao que ela coloca comida no prato, estende-me a mão à bruta, como se estivesse a mandar comida a animais com desdém e pergunta-me "isto chega?". É claro que chegava! Mas nem tive coragem de ir buscar sopa ou fruta. Acho que ela ainda me agarrava a mão e me mandava largar o que estava a segurar.

É claro que eu contei o episódio a toda a gente e mais alguém, inclusivamente ao director.

Todos sabem que a cozinheira é assim, mas de vez em quando uns laivos de simpatia não fariam mal a ninguém... digo eu...